Divergências no relacionamento: Como não vi isso antes? Você é desportista e aventureiro, ela, ama a leitura e o silêncio… Você é meticulosa, prática e organizada, ele, desapegado, intuitivo e desorganizado… Você ama sair com amigos, ele, ama ficar em casa…

Já observou situações como essas?

Alguns casais em tais situações chegam logo à conclusão que não são compatíveis. Ou, pensam: “Como não vi isso antes?”

Essas conclusões são, geralmente, precipitadas. Nem é caso de incompatibilidade, nem de falta de percepção antecipada. Existem outras possibilidades que muitas vezes são descartadas ou passam completamente despercebidas.

Todo casal, quando no início do relacionamento, percebe em certo grau as diferenças entre eles. O grande detalhe é que, nessa fase do relacionamento, no princípio, eles estão mais dispostos a RELEVAR tais diferenças, dispostos a não dar tanta importância assim… o foco está em estabelecer um bom relacionamento, com tolerância e fazer que ele prospere para atingir um objetivo comum.

Um dos grandes segredos de bons relacionamentos é a continuidade dessa mentalidade. A mentalidade da tolerância.

Mas, depois de certo tempo, geralmente depois de casados, por exemplo, esse mesmo casal muda sua maneira de encarar as coisas? Essa mudança de atitude, de tolerante para mais exigente, tende a tornar o relacionamento mais turbulento e sempre “por um fio”. Na realidade, não é saudável nem inteligente.

Divergências no relacionamento: fato inegável

Um fato importante e indiscutível é que não existem duas pessoas iguais. Interesses, hábitos e personalidade são subjetivos. Logo, isso é próprio da raça humana.

JÁ QUE É UM FATO, O QUE FAZER?

Muitas sugestões e estudos já foram publicados sobre esse tema. Eu aqui quero abordar apenas os pontos principais, mais relevantes para contribuir de maneira direta e objetiva. Seguem então:

1 – Amplie seus horizontes

É muito importante lembrar que há mais de uma maneira correta de se fazer uma coisa. Muitas pessoas, por causa de uma educação familiar muito restritiva, educação religiosa ou cultura de seu País, etc… acabam tendo uma formação que impede ver as coisas de maneira mais aberta. Para essas pessoas tudo é muito “preto ou branco”, “certo ou errado”, ou, as coisas “têm que ser como ela aprendeu”.

Para essas pessoas é muito difícil ampliar seus horizontes. E admitir que há mais de uma maneira de enxergar um assunto. E que essa outra “maneira” também é aceitável. Portanto, mudar essa mentalidade é fundamental para aplicar essa técnica. Se esse é seu caso, procure ajuda especializada. Procure mudar essa mentalidade o quanto antes. E isso certamente vai ser útil não só em sua vida amorosa, como também em sua vida profissional e cotidiana.

Recupere seu ex clique aqui

2 – Seja realista

Então é fundamental saber conviver com as diferenças. Como eu disse ninguém é igual a ninguém. Todos somos diferentes e se quisermos nos relacionar de maneira saudável, temos de aprender a conviver com essas diferenças. A pessoa realista, não fica “dando murro em ponta de faca”. Lutando contra um fato. Mas, aprende a aceitar e até crescer com essas diferenças. Todos nós temos preferências, hábitos e pontos de vista nossos, específicos, subjetivos. E gostamos que respeitem tais opiniões ou preferências. Geralmente, elas nos fazem muito bem. Ou até são marcantes de nossa personalidade. São como “marca registrada” de quem somos. Portanto, é muito bom conviver com alguém equilibrado que nos ame como realmente somos. Que nos aceite plenamente. E não fique tentando nos mudar, ou nos fazer sentir “inadequados”, ou tentando nos colocar em “caixinhas”…

3 – Nunca tente mudar o outro

Mudar a nós mesmos é muito difícil. Mudar outra pessoa então… é uma tarefa inútil. Alguns, têm a mentalidade de que vão com o tempo mudar o outro(a). Na verdade, ninguém muda ninguém. Nós nos adaptamos aos outros para uma melhor convivência, mas, mudar, na essência, ninguém muda.

Por isso, a tentativa de mudar outra pessoa é um esforço ingênuo e inútil. Os casais que têm sucesso na vida a dois, confirmam, claramente, que a melhor coisa é aceitar seu parceiro(a) como ele é. Então quando um tenta mudar o outro, na realidade só provoca brigas e mal estar. Também, está dizendo nas entrelinhas que não está satisfeito com a “pessoa que realmente somos”.

Mas, na realidade, essa pessoa não é a mesma do início do relacionamento? E não era aceita e amada completamente? Por que agora, essa tentativa insana de mudança? Pois sempre que isso acontece, o resultado são rupturas amargas e feridas profundas.

Quer reconquistar o seu amor?

4 – Exercício das 3 listas

Nesse exercício podemos entender alguns “insights” interessantes. E eu proponho, nesses casos, a meus clientes, (e já utilizei inúmeras vezes) pois sei que são extremamente úteis:

Numa folha, você anota tudo o que você ama em seu parceiro. Em outra folha, você anota todos os pontos em que vocês não são compatíveis. E numa terceira folha, anote os pontos em comum.

No final, quando analisar essa terceira folha, talvez você vai perceber que os pontos convergentes são muito mais que imaginava. E que sua percepção das divergências estava exagerada. Talvez isso vai amenizar seus ânimos e te dar uma nova visão de seu relacionamento.

Mas, se a sua terceira lista apontar para muitas divergências no relacionamento, não se desespere!. Veja isso de maneira positiva. Veja ali uma oportunidade de ampliar seus horizontes e ser mais realista, aproveitando esse feedback para seu crescimento pessoal e como casal (perceba que você vai mudar sua visão, não tentar mudar o outro).

Na realidade, não somente em relacionamentos conjugais, mas em tudo na vida, podemos aplicar esse método. E quando encaramos as respostas com o “mindset” correto, as nossas atitudes nos levarão a colher melhores resultados, em tudo.

Pacote da Reconquista

Divergências no relacionamento: Como não vi isso antes? – Conclusão

Se continuar a focado(a) em: “A gente não combina em quase nada”… você só vai encontrar coisas que apoiem esse pensamento.

Mas, se o foco for em trabalhar juntos, em equipe e encarar as diferenças como TEMPERO e não como VENENO, então, vai ser muito mais fácil a convivência a dois. E a felicidade do casal será plenamente possível.

Você pode receber uma ajuda extra para aplicar estas técnicas através de meu coaching. E siga-nos no nosso canal do YouTube!

Conte comigo para uma ajuda personalizada. Entre em contato através do Coaching Personalizado!

Um forte abraço,

Dyuly Cardoso

Pin It on Pinterest

Share This

Compartilhe

Compartilhe esse artigo com seus amigos