É isso mesmo que você leu: pare de controlar suas emoções. Mas como assim, se sempre dizemos que é necessário controlar as emoções? Calma, eu vou te explicar: o título acima do artigo de hoje é uma provocação!!

Sim, nós que trabalhamos para melhorar o nível de desenvolvimento pessoal e ajudar pessoas em suas reconquistas, jamais poderíamos incentivar ou recomendar um descontrole emocional (explosão de fúria) ou coisa parecida.

Todavia, cabe nessa análise olharmos para os dois lados da questão. Ser uma pessoa equilibrada emocionalmente não significa ser alguém sem expressões naturais, ou um tanto robótica, ou o famoso “banana”.

Na verdade, todos nós precisamos saber usar as duas formas de reagir: ora com mais energia e tenacidade, ora com plena calma e controle da situação. E, é aí onde mora o perigo!

Como não são todos os que dominam bem essa técnica, acontecem verdadeiros estragos em relacionamentos pelo mau uso. Porém, posso lhe garantir que tudo é questão de aprendizagem e método. Com ajuda perita qualquer pessoa pode aprender a controlar suas emoções diante de qualquer situação.

Controlar suas emoções e instintos primitivos

A ciência nos ensina que desde os primórdios da história do homem na terra, ele sempre teve que lidar com o stress ou “estar sob pressão”. E a parte animal que há em cada um de nós sempre prevalecia naquele tempo (é triste, mas tenho que admitir que hoje também, muitas vezes).

Como aquele homem primitivo não tinha desenvolvido a sua plena capacidade de raciocínio lógico e autocontrole, ele sempre reagia segundo seu instinto animal, visando tão somente a sobrevivência.

Portanto, não é de admirar que em nossos tempos de conhecimento tão elevado e alta tecnologia ainda haja seres humanos que reagem de maneira primitiva. Há muitos fatores: social, cultural, religioso, patológico… que influenciam nessa análise (e eu não vou entrar nesse campo neste artigo).

Ainda assim, o maior legado de nossos tempos modernos é nos tornar mais propensos ao equilíbrio, à racionalidade e ao autodescobrimento.

Emoção como mecanismo de defesa

Porém, voltando ao foco de nossa missão: ajudar pessoas em seu desenvolvimento pessoal e reconquista, vamos analisar, sob esse ângulo os relacionamentos de casal.

Algumas pessoas insistem em usar algumas ferramentas de defesa de quando ainda eram crianças para tentar influenciar um parceiro diante de uma conversa mais difícil.

Eu me lembro que li há pouco tempo sobre um costume na idade média muito peculiar. Diante da possibilidade de ser castigado, chicoteado pelos pais, algumas crianças encenavam um choro “teatral”, e o objetivo, claro, era demover seus “carrascos” daquela atitude cruel (evidentemente, nosso padrão atual de educação sequer cogita tal tipo de disciplina).

Mas, voltando ao caso citado acima, alguns psicólogos encontraram uma associação da maneira como algumas pessoas lidam com situações estressantes e à daquela criança: o uso do choro (ou equivalente) como ferramenta de defesa.

E, lidando com muitos casais em nossos coachings, percebemos que ainda acontece exatamente isso. Alguns tentam encerrar a questão ou sequer começam uma conversa mais séria apenas se utilizando da ferramenta “choro”.

Percebemos, então, um descompasso entre saber liberar as emoções de maneira produtiva, eficiente, gradual e, liberar sem controle, de maneira infantil e primitiva.

Como controlar as emoções

Depois do exposto acima, algumas dicas de como lidar com situações estressantes e como controlar as emoções serão abordadas agora.

1 – Evite tentar resolver toda e qualquer situação litigiosa de imediato. A famosa regra: “conte até 10” para controlar suas emoções continua sendo muito útil e traz benefícios. Os fatos mostram que, quando damos um tempo razoável antes abordar um assunto espinhoso, geralmente conseguimos ver outros ângulos daquele problema e visualizar possíveis desfechos e maneiras de atenuar os resultados danosos.

2 – Em alguns casos, depois de passar um tempo razoável, o assunto é “esquecido” e evita-se um confronto desnecessário.

2 – Quando não é possível deixar que o tempo cure a ferida, um conselho equilibrado é saber esperar o momento certo para abordar o assunto. Também, saber o momento em que ambos estão calmos e “desarmados” no espírito (ou seja, mais propensos a um diálogo equilibrado).

3 – Evitar conduzir a conversa na primeira pessoa, ou dar ares de que está numa situação superior.

4 – Demonstrar humildade. Usar mais o pronome “nós”. Essa atitude tende a acalmar os ânimos e pavimentar o consenso.

5 – Saber admitir que todos nós estamos em constante crescimento. Ninguém é completo. Perfeito. Portanto, todos podemos mudar e atingir novos patamares.

6 – Sempre usar de empatia. A cada raciocínio, lembrar de   se colocar no lugar do outro e tentar sentir como receberia aquelas palavras.

Agindo assim, saberemos administrar as nossas emoções sem explosões descontroladas e em doses “homeopáticas” buscando o melhor resultado possível.

Recupere seu ex clique aqui

Um recado importante!

Toda informação especializada nesse campo é importante para sua estratégia de reconquista ou de desenvolvimento pessoal. Porém, nem sempre é possível atingir esses objetivos sozinho(a). Às vezes, durante o percurso a pessoa pode se perder ou questionar se está mesmo adotando a melhor estratégia. Um acompanhamento perito pode ajudar a traçar os melhores rumos ou redirecionar os esforços, sempre que necessário, em busca dos melhores resultados.

Concluindo, quero lembrar que SEMPRE que precisar de ajuda, pode contar conosco. Eu e minha equipe estaremos sempre à disposição para te ajudar em seu desenvolvimento pessoal ou em sua reconquista. Fornecemos diariamente informações GRATUITAS muito úteis em nosso Canal no Youtube através de vídeos, bem como em nosso site RECONQUISTE O AMOR, através de artigos práticos e direcionados para inúmeras situações ligadas ao tema.

Porém, se precisar de ajuda personalizada, pode contar com nosso coaching personalizado. Você terá acompanhamento individualizado, com total discrição e todo o profissionalismo de nossa equipe. Já estamos há mais de 10 anos ajudando pessoas em seu desenvolvimento pessoal e reconquista.

Gosto de lembrar sempre a nossos seguidores: “você não precisa travar essa batalha sozinho”. Os desafios podem ser enormes, mas juntos podemos alcançar os objetivos desejados. Com nossa ajuda, você poderá ser bem sucedido em sua reconquista ou melhorar sua autoestima e seu desenvolvimento pessoal, descobrindo que pode, SIM, PODE, produzir a sua melhor versão!

Obrigada e um forte abraço!