Escolha uma Página

Vou te fazer uma pergunta e eu quero que você me responda com muita sinceridade (“diga a verdade, ponha o dedo na ferida”): você estava feliz quando sua relação acabou?

Esta é uma pergunta que vai te causar certo desconforto, porque quando você parar para refletir, é muito provável que chegue à conclusão de que não, você não estava feliz. E apesar de o seu subconsciente já ter te dito isso, você não quis aceitar, por ainda amar aquela pessoa. Ou amar a ideia de ter um relacionamento com alguém.

Levando isso em consideração, este artigo tem o objetivo de te fazer compreender que o término, por mais doloroso que tenha sido, foi necessário para que você acordasse para a vida e percebesse que você já não estava feliz naquela relação do jeito que as coisas estavam.

Você ignorava o fato de que já não estava feliz quando sua relação acabou

Será que você já não havia percebido que o seu ex estava reclamando demais sobre tudo, mais frio e distante? E será que você não agravou essa situação ainda mais quando você começou a ficar mais carente, inseguro e fazendo muitas cobranças?

Se você parar para pensar, vai notar que o seu relacionamento não acabou do dia para noite. Os sinais de que havia algo de errado, de que nem tudo estava bem, já estavam se mostrando, mas você não os percebia – ou os ignorava. E mais: ignorava o fato de que você não estava feliz quando sua relação acabou.

Mas por quê?

Porque você estava tão apegado ao seu ex e a ideia de estar em um relacionamento, que acreditava que era melhor estar em um problemático do que ficar sozinho.

A ironia da história é que se você não tivesse ignorado os sinais, talvez você tivesse conseguido resolver os problemas, conservando, assim, o seu relacionamento. No entanto, como você preferiu “empurrar com a barriga” e ficou adiando os embates, os problemas só cresceram, até que a relação se tornou insustentável.

Dito isto, quero te dar um conselho que vai ser usado depois da reconquista: quando você perceber algum sinal de que a relação está com um problema, converse com o seu companheiro e tente resolvê-lo.

Embates e brigas são desconfortáveis, desgastantes, mas são importantes dentro de um relacionamento. Como a pessoa vai saber vai saber que determina atitude dela não te agrada se você não falar? Portanto, não empurre os problemas para “debaixo do tapete”.  

Com calma, maturidade e diálogo, tudo se resolve.

Evolua para ser feliz

A partir do momento em que você percebe que você não estava feliz quando sua relação acabou – nem seu ex –, você descobre que o término foi necessário e, de certo modo, bom para vocês. Mas como assim? Quanto mais tempo se insiste em uma relação problemática, mais as partes envolvidas se ressentem uma com a outra.

Ou seja, foi melhor o relacionamento ter acabado logo, enquanto vocês ainda tinham sentimentos um pelo outro, do que continuar insistindo até que não restasse mais nada.

E quando você aceita que realmente acabou, entende que agora não adianta você ficar correndo atrás de seu ex feito louco, porque isso só vai afastá-lo ainda mais de você.

Neste momento, o melhor é se afastar e se reconstruir.

Portanto, comece a cuidar de si, da sua saúde física e mental, da sua autoestima. Trabalhe a sua autoconfiança e retome o controle das suas emoções. Seja mais positivo, mais alegre, sorridente e encha a sua vida de novidades.

Isso tudo é para que você evolua, torne-se a sua melhor versão de si, alguém mais interessante, que tem amor próprio e se valoriza. Este é um alguém que vale a pena amar.

As chances de o seu ex querer conhecer o seu novo eu e desejar estar contigo são muito grandes. Por isso, mude, evolua. É importante para o seu desenvolvimento pessoal e para que você tenha um relacionamento saudável.

Aprenda as linguagens do amor

Talvez um dos motivos pelos quais você não estava feliz quando sua relação acabou, era porque você e o seu ex não sabiam a linguagem do amor mais importantes para o outro. O que isso quer dizer?

Quer dizer que cada um tem a sua maneira de demonstrar que ama, e que não vai se sentir amado se o outro não demonstrar o amor do mesmo jeito que ele. Ficou confuso? Eu explico.

Vamos supor que a sua linguagem do amor é dar/receber presentes. Ou seja, para demonstrar que ama, você enche a pessoa de presentes e só se sente amado por ela, se ela também te der (deixando claro que não se trata de uma pessoa “interesseira”, apegada a bens materiais, mas de alguém que tem essa forma especifica de externalizar os sentimentos).

Ganhar presentes é muito bom, mas se a linguagem do amor que mais toca ao coração de seu parceiro for tempo de qualidade e atenção, de nada vai adiantar você presenteá-lo todos os dias, se você não der a ele atenção, se não passar um tempo de qualidade com ele.

Em suma, a sua maneira de demonstrar o amor, às vezes, não é a que faz com que a pessoa se sinta amada. Por isso, é importante que você e o seu companheiro conversem, a fim de se conhecerem melhor, de descobrirem o que faz o outro se sentir amado.

Dessa forma, haverá equilíbrio e reciprocidade no relacionamento. Que, em consequência, será mais sólido, saudável, feliz e duradouro.

Recupere seu ex clique aqui

Conte conosco

A reconquista é um processo que requer tempo, paciência, esquecer o passado e focar no futuro. Para te ajudar em tudo isso, eu e minha equipe estamos a sua disposição.

Já ajudamos milhares de pessoas em todo o mundo, como você pode perceber ao ler os comentários e agradecimentos deixados por elas em nossas publicações. Confie em nossos métodos, nós podemos te ajudar a recuperar o seu ex.

Junte-se aos mais de 205 mil inscritos em nosso canal no YouTube. Lá postamos vídeos diariamente, com dicas valiosas de desenvolvimento pessoal, reconquista e manutenção de seu relacionamento.

Se necessário, você pode, ainda, contratar o Coaching Personalizado, no qual alguém da equipe estará ao seu dispor para te ajudar a desenvolver estratégias para alavancar o seu desenvolvimento pessoal e te ajudar a retomar as rédeas da sua vida amorosa.

Um grande beijo e até mais!

Pin It on Pinterest

Share This

Compartilhe

Compartilhe esse artigo com seus amigos