O que fazer quando o problema pelo qual o seu relacionamento está passando é a incompatibilidade de gênios?

Este artigo nem é tanto para quem está no processo de reconquista. É para quem suspeita que o relacionamento em que vive está por um fio. É para quem já conseguiu reconquistar, mas sente que a qualquer momento tudo pode ir por água abaixo.

Não raras vezes, quando faço a pergunta “por que a sua relação terminou?”, ouço ou leio a resposta “ah, foi por incompatibilidade de gênios”. Ok, mas essa incompatibilidade sempre existiu? Ou vocês a adquiriram do meio para o fim da relação? Será que realmente existe uma incompatibilidade ou essa é apenas uma desculpa porque você não sabe o real motivo pelo qual seu relacionamento não deu certo?

Pense sobre isso e responda essas perguntas com sinceridade. Dependendo da resposta, investir em uma reconquista pode valer a pena ou não.

Mas no que consiste essa incompatibilidade de gênios? Quando e como ela pode acontecer?

Há quatro grupos de “gênios” e cada um deles tem subgrupos. Para a incompatibilidade realmente aconteça, você e a pessoa que você ama devem estar em grupos diferentes.

E que grupos são esses? São grupos em que uma determinada característica se manifesta predominantemente: realizadores, perfeccionistas, sociais e pacíficos.

Vou falar um pouco sobre cada um deles, de modo que vai ser mais fácil identificar de qual grupo você faz parte, a qual pertence o seu parceiro e o porquê de haver incompatibilidade de gênios entre vocês.

Os tipos de gênios

Os realizadores são aqueles que estão sempre fazendo alguma coisa – qualquer coisa –, não conseguem ficar parados.

Quando um realizador convive com pessoas dos outros grupos, se estressa com elas. E até as menospreza. Acha que elas são preguiçosas e que estão perdendo tempo, enquanto poderiam estar fazendo algo útil.

Aí quando o relacionamento amoroso de um realizador acaba, ele diz assim: “meu ex era muito devagar, não daríamos certo nunca.” Isso acontece porque ele não entende que nem todo mundo tem essa necessidade de não ficar parado, de ter todos os planos formados para o futuro.

O perfeccionista é inerentemente crítico e detalhista. Quer tudo perfeito, certinho.

Ele vai criticar o realizador (“você faz várias coisas ao mesmo tempo, e nunca nada fica bem feito”). Vai criticar, ainda, o social (“você tem que levar as coisas mais a sério. Você só quer saber de diversão”).

E quem são esses sociais? Ah, esses são facilmente identificados. Estão sempre rodeados de amigos, fazem todo mundo rir o tempo todo e são o centro das atenções. Em comparação com os outros, passam a impressão de não levarem nada a sério E isso acaba por provocar atritos.

Por fim, há os pacificadores – aqueles que não querem guerra com ninguém. Eles evitam conflitos a qualquer custo. Se necessário, mudam de opinião ou o jeito de ser só para não ter confusão. Isso é bom? Não. Porque eles acabam se anulando, suportando ser o que não são.

Por que há incompatibilidade de gênios?

Parece brincadeira, mas a verdade é que o destino é ferrenho e gosta de dar risada as nossas custas: você acaba se apaixonando por alguém totalmente diferente de você.

É claro todos nós somos diferentes uns dos outros. E não teria sentido algum estar em um relacionamento com alguém exatamente igual a você. Só que há diferenças pequenas, irrelevantes. Contudo, há aquelas diferenças que podem ser intransponíveis.

Por exemplo, suponhamos que o seu sonho é ter filhos. Um relacionamento com alguém que não os quer de jeito nenhum, provavelmente, não vai durar muito tempo.

No entanto, em se tratando de pequenas diferenças de pensamento e personalidade, é tarefa do casal ter cuidado com o extremo de cada gênio. É preciso saber ceder. Só assim é possível entrar em um consenso e viver em um relacionamento saudável, em que haja respeito e compreensão.

Entenda que para ser feliz em um relacionamento (qualquer tipo de relacionamento, seja amoroso, familiar ou com amigos), você não pode impor o seu gênio. Não pode se deixar dominar por ele e desrespeitar o jeito do outro, sem tentar compreender porque ele age como age, sem querer escutá-lo.

E qual a melhor forma de compreender o outro? Através do diálogo. É conversando que a gente se entende.

Use o diálogo para combater a incompatibilidade de gênios

Você sente que o seu relacionamento está por um fio? Acha que o grande problema entre vocês é a incompatibilidade de gênios? Chame seu parceiro para conversar.

Este não é o momento de um ficar apontar o dedo na cara do outro e culpá-lo pelos problemas do relacionamento. Agora é a hora de saber ouvir. De tentar compreender, de dar abertura para o outro expressar seus medos, dúvidas e opiniões.

Agora é a hora de utilizar a inteligência emocional para extrair o melhor do seu gênio e o do seu parceiro. Saiba somar os pontos positivos de ambas as personalidades e amenizar os negativos.

É exatamente para isso que construímos um relacionamento com alguém. O objetivo é aprendermos com a diferença e nos tornamos pessoas melhores, mais compreensivas e tolerantes.

Conte conosco

Eu e minha equipe estamos aqui para te ajudar no seu desenvolvimento e crescimento pessoal e emocional. Assim, então, você viverá melhor consigo mesmo, bem como para conseguir a tão sonhada reconquista.

Confie em nossos métodos altamente eficazes para te ajudar, do mesmo modo que já ajudamos milhares de pessoa no mundo todo. Leia os comentários deixados por nossos seguidores em nossas publicações que você vai perceber o quanto nossa taxa de sucesso em reconquistas é grande.

Junte-se aos mais de 253 mil seguidores, os quais acompanham diariamente os vídeos ali postados, cheios de dicas de reconquista e de desenvolvimento pessoal. Inscreva-se em nosso canal no YouTube.

Conte com nosso Coaching Personalizado, se você precisar de um atendimento individual, para desenvolver estratégias para te ajudar a retomar as rédeas da sua vida amorosa.

Beijo no coração e até o próximo post!